Lorena e Jose

Em: Pazo de Cea

DSC_3144

DSC_3916 DSC_3910 DSC_3941 DSC_3928 DSC_3176 DSC_3935 DSC_3178 DSC_3191 DSC_3200 DSC_3218 DSC_3233 DSC_3245 DSC_3286 DSC_3259 DSC_3997 DSC_4020 DSC_4104 DSC_3304 DSC_3352 DSC_3328 DSC_3336 DSC_4176 DSC_4188 DSC_4203 DSC_4218 DSC_4212 DSC_4194 DSC_4207 DSC_4228 DSC_4242 DSC_4253 DSC_3405 DSC_3411 DSC_3423 DSC_3443 DSC_3492 DSC_3505 DSC_3464 DSC_3486 DSC_3519 DSC_3552 DSC_4340 DSC_3574 DSC_3577 DSC_3584 DSC_3597 DSC_3644 DSC_3647 DSC_3653 DSC_4435 DSC_3667 DSC_3669 DSC_3674 DSC_3675 DSC_4589 DSC_4624 DSC_3744 DSC_3730 DSC_3722 DSC_4672 DSC_3728 DSC_3737

1 Comentario

  • Porque para mim, a fotografia é um mistério imponente.
    Traz em si sentimentos, emoções, lembranças congeladas num ato tão simples como o “clicar” de um segundo de vontade.
    Traz para nós o “poder ficar mais em pouco” naquele lugar. Faz de nós, ali mesmo, o que fomos, o que quisemos, e afoga a saudade que fica, do momento registado.
    A fotografia é para mim, uma pequena história, a juntar a todas aquelas, que nesta vida vamos escrevendo.
    É um estado de alma, amarrado à recordação de um simples momento, que nos faz lembrar, que existimos. Que fomos ontem e somos hoje.
    E que amanhã, será com certeza, um bom dia para registar.

    Muitos parabéns Sr. Paulo Duarte. Gostei particularmente destas fotografias. Transmitem-me a simplicidade apaixonante, que uma cerimónia como esta tende a transparecer pelo seu genuíno significado.
    Um ótimo trabalho aqui representado. Votos de sucesso.

Deixe uma resposta